O ranzinza polêmico e diferenciado

Mil perdões por este título mequetrefe para este texto. Espero, sinceramente, que o conteúdo supere suas expectativas e você perceba o quão (consegui meter um quão no texto!) diferenciada esta leitura será.

O ranzinza sou eu. Vivem dizendo que reclamo de tudo. Eu rebato com uma de minhas frases favoritas: “pra mim, tá sempre tudo bom!”

A reclamação do momento, que não é uma reclamação, mas uma constatação, é quanto a essas duas palavras. Não há mais adjetivos ou advérbios. Tudo é diferenciado ou polêmico.

Bom, competente, persistente, educado, confiável, inteligente, perspicaz, bonito, feio, alto, magro, gordo, obeso, elegante, atraente, bonitona, burra… A modernidade uniu-se à imprensa para simplificar o vocabulário e transformar todas essas inutilidades em uma única palavra: diferenciado.

É um raciocínio brilhante!

Perdão! É um raciocínio diferenciado.

Houvesse pensado nisso, Aurélio Buarque de Holanda poderia ter suprimido a metade das páginas de sua obra, trocando-as, todas, por essa maravilha de vocábulo. Perdão novamente. Por este vocábulo diferenciado.

Diferenciado: adjetivo; Significado: absolutamente nenhum. Nada.

Por isso todo mundo usa esse neologismo magnífico. Ele serve para políticos, jogadores de futebol, artistas, cervejas, pratos, pizzas, roupas… Exatamente por não significar rigorosamente nada, pode-se falar este termo impunemente, como aquele coringa do baralho, que substitui qualquer coisa. Com isso, vamos empobrecendo nossa língua e caminhando a passos largos para, em um futuro próximo, grunhir uns com os outros.

Este é um assunto polêmico. Esta é a outra palavrinha da moda. Não se faz mais críticas. Não se apontam mais erros. Leis, arbitragens de futebol, marcações de pênalti, medidas provisórias, decisões. Tudo é polêmico, por mais que seja claramente errado. O juiz marcou um pênalti polêmico. No mais das vezes, houve uma marcação absolutamente inaceitável, errada, absurda. Mas o vocábulo “polêmico”, este termo diferenciado, resolve este problema. Diz-se que foi uma marcação polêmica, que o tema é polêmico, e se tira completamente a responsabilidade de emitir uma opinião. Principalmente quando não interessa emitir essa opinião, pois ela é contrária àquilo que se quer fazer acreditar. Então, se embrulha pra presente de forma diferenciada, ou seja, dizendo ser polêmico.

Lacrou?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *